Nossa gente

Os artesãos que levam as características da cidade de Prados para o mundo

ITAMAR JULIÃO

Percursor da família Julião na cidade de Prados, no Campo das Vertentes


Exposição Galeria Estação, em São Paulo

A família Julião conquistou o universo das artes e do artesanato com suas esculturas de madeira em tamanho real.

De Itamar Julião, grande mestre das esculturas, até Márcio Julião,

que ainda mantém viva a tradição na pequena cidade de Prados/MG.  
Por Nicole Duarte

Artesão e escultor que mantém viva a tradição familiar em Prados 

Márcio Julião 

Foto: Arquivo Pessoal

A cidade de Prados conta com um artesanato rico em detalhes e delicadeza. Atualmente, é possível contabilizar mais de 700 famílias que tiram sua principal renda através do artesanato na região. Apesar de muitas famílias manterem a tradição do trabalho artesanal, o grande destaque e origem dessa tradição vêm de uma única: a família Julião.


A história tem muitas fontes e diversas versões, mas a origem é longa e começa com Sr. Antônio Julião, conhecido na região como Julião Boiadeiro, que já acostumado com cortes em madeira, cortava réguas para montar currais e cabos de arreio para selas. O dom para esculpir em madeira já estava no sangue e foi passando de uma geração para outra dentro da família Julião.  

Um dos mais famosos e reconhecidos artesãos da família foi Itamar Julião (1.959 - 2004), bisneto de Julião Boiadeiro, que segundo sua mãe, em meados da década de 60, o filho resolveu ir ao circo e se encantou com os animais que estavam ali expostos, como o leão e alguns macacos. Ao chegar em casa, empolgado, pegou um pedaço de madeira e esculpiu seu primeiro leão. Depois disso, as ideias só foram crescendo e o jovem Itamar Julião fez sucesso com suas esculturas, sem perder o encantamento pelos leões e macacos, que se mantém presentes nas obras da família até os dias de hoje.

Itamar Julião também passou a fazer seus trabalhos esculpindo peças com a temática religiosa, muito aflorada e comum na região de Prados, mas sua verdadeira consagração como grande artista foi com as esculturas de animais em tamanho real. Enormes leões, leoas, cavalos, pássaros, entre outros belos animais, se tornaram sua verdadeira marca registrada e lhe garantiram sucesso ao longo dos anos seguintes, com obras indo parar em grandes exposições nacionais e internacionais.

 

Durante toda a vida, Itamar viveu em um sítio no interior da cidade de Prados, onde confeccionava suas obras e ensinava seus sobrinhos, primos e outros familiares a seguir com o dom pra arte deixado pela família. Infelizmente, Itamar Julião faleceu novo, em 2004, mas deixou um legado incrível para as futuras gerações, que deram continuidade ao artesanato esculpido em madeira.

 

O trabalho do artista foi muito além das fronteiras mineiras, conquistando o mundo inteiro. Seu legado inspirou não só os irmãos, mas toda uma cidade, que hoje se volta para o artesanato de diversos tipos, especialmente de madeira. Hoje em dia, a maior parte da família é composta por artistas e possui ateliês próprios na cidade de Prados, no Campo das Vertentes. Um deles, é o Márcio Julião, morador da cidade de Prados e uma das maiores referências na região quando o assunto é artesanato. Casado e pai de um menino, Márcio representa a quinta geração da grande família de artesãos que trouxe os primórdios do artesanato para cidade.

Atualmente, Márcio Julião, possui um ateliê onde trabalha com apoio de mais três pessoas. Manteve a especialização em madeira, assim como o restante da família, e faz todo processo artesanal das obras. Apaixonado por seu trabalho e orgulhoso da tradição que vem de sua família, Márcio cria com gosto cada escultura que sai de seu ateliê e apoia com vigor o trabalho de seus familiares. “A paixão por esculpir em madeira veio de geração para geração sempre ajudando no sustento da nossa família. Ao longo do tempo foi evoluindo e dando corpo a essa magnífica profissão que leva o nome de Prados para o mundo através do artesanato e belas esculturas”, comenta Márcio.

 

“Existem as mais diversas esculturas espalhadas pelo mundo que foram criadas pelos seguidores de Itamar Julião, como meu pai, Anézio Julião, e meu tio, José Julião, já falecidos. Hoje ainda temos outros da família que dão seguimento à profissão de seus antepassados, os talentosos escultores da família como, João Julião, Antônio Julião, Ari Julião, Vicentina Julião, e outros da família que trazem os traços da tradição com detalhes, criatividade e características de cada um", acertou Márcio Julião.

 

Comm obras reconhecidas em todo o país, muito turistas são atraídos até a cidade de Prados/MG, encomendar grandes obras primas com Márcio e sua família. “Aprendi a trabalhar com meu pai, Anézio Julião, que foi meu grande mestre. O processo de criação de cada trabalho - não consigo explicar em palavras - porque é algo que vem do nosso interior. Sei apenas dizer que é fundamental gostar de nossa profissão para fazer o que fazemos, porque esse dom é coisa de Deus, e nós somos só instrumentos D’Ele”, conta o artista.

As obras de Márcio e de sua família já foram colocadas em diversas exposições e serviram como tema para várias galerias. Desde dos leões enormes, até as obras mais exóticas como o grande Centauro e o Palhaço em tamanho real, ambos esculpidos por Márcio em seu ateliê, já estiveram presentes em Belo Horizonte e São Paulo. Márcio explica ainda o quanto se sente honrado ao levar o nome da sua família adiante. “Considero honrado e muito importante levar o nome de meu pai e da família Julião adiante, é algo incrível,” acrescentou.

 

Ateliê Márcio Julião

Vila Cassara, S/N, Vila Cassara

Prados, MG

Telefone: (32) 3353-6867