Sábado, 08 de Maio de 2021 13:28
32 99936-6146
Dólar comercial R$ 5,23 -0.93%
Euro R$ 6,36 -0.08%
Peso Argentino R$ 0,06 -0.94%
Bitcoin R$ 321.034,61 +0.717%
Bovespa 122.038,11 pontos +1.77%
Economia Minas Consciente

Minas Consciente: Macrorregião Centro-Sul avança para a Onda Vermelha

A partir de sábado (24), 13 das 14 macrorregiões de Saúde do Estado estarão na Onda Vermelha; decisão do Estado ocorre apesar de aumento de 8,2% nas mortes por Covid-19 e 4,1% nos casos confirmados da doença registrados nesta semana

22/04/2021 16h25
269
Por: Thais Marques
Decisão do Estado ocorre apesar de aumento de 8,2% nas mortes por Covid-19 e 4,1% nos casos confirmados da doença registrado nesta semana. Foto: Governo de Minas Gerais
Decisão do Estado ocorre apesar de aumento de 8,2% nas mortes por Covid-19 e 4,1% nos casos confirmados da doença registrado nesta semana. Foto: Governo de Minas Gerais

Apesar de aumento de 8,2% nas mortes por Covid-19 e 4,1% nos casos confirmados da doença registrado nesta semana, 13 das 14 macrorregiões de Saúde de Minas Gerais progridem da Onda Roxa, que infere colapso, para a Onda Vermelha, que determina alerta máximo, do programa Minas Consciente, instrumento do governo do Estado de combate à pandemia, a partir deste sábado (24).

A decisão foi tomada em deliberação do Comitê Extraordinário Covid-19 do Executivo estadual nesta quinta-feira (22). Dessa forma, somente a macrorregião Norteste de Minas estará na classificação de mais alto risco. 

“O grupo decidiu pelo avanço para a Onda Vermelha das macrorregiões Centro, Centro-Sul, Leste, Leste do Sul, Oeste e Vale do Aço. Assim, permanecerá por mais uma semana na Onda Roxa - com funcionamento apenas dos serviços essenciais - somente a macrorregião Nordeste, que está com 99% de ocupação da UTI exclusivo Covid. Desde sábado (17), sete das 14 macrorregiões do Estado já haviam progredido para a Onda Vermelha”, informa o governo do Estado.

Nove das 89 microrregiões de Minas continuam na “Onda Roxa”. São elas as quatro que compõe a macrorregião Nordeste do Estado, e as microrregiões do Centro de Minas de Guanhães, Itabira, João Monlevade, Ouro Preto e Sete Lagoas.

Por outro lado, as microrregiões de Manga/Januária, Araçuaí, Diamantina, Serro, Patrocínio/Monte Carmelo, São Sebastião do Paraíso estão autorizadas a avançar para a “Onda Amarela” do Minas Consciente, que representa alerta em relação à pandemia 

“Temos que analisar os resultados técnicos. Entendemos que podemos avançar para a onda vermelha em quase todo o estado, mas é fundamental compreender que a pandemia continua, que todos os cuidados como uso de máscara e higienização das mãos- são necessários, e que só a vacinação é a solução definitiva”, afirmou o governador, Romeu Zema (Novo).

Secretário de Estado da Saúde, Fábio Baccheretti afirmou que a decisão de manter parte da macrorregião Central na fase mais restritiva é necessária para que a pressão no sistema de saúde de Belo Horizonte, que canaliza grande parte das demandas por internação nessas cidades, fique estável. “Enquanto a micro de BH não conseguir fazer a absorção dos pacientes, não é possível avançar toda a macrorregião para a onda vermelha”, explicou. 

O secretário comemora que o aumento registrado no número de casos em Minas Gerais nesta semana, de 4,1%, e na quantidade de mortes, de 8,2%, foram inferiores àqueles computados na semana anterior. Ele afirma que a “positividade da doença” representou queda, marcando 37%, e que “a incidência da doença também está reduzindo”, sem informar detalhes. 

“A redução constante de pacientes aguardando leitos é um fator confiável. Hoje são 211 aguardando UTI no estado, ou seja, há uma clara redução na pressão por leitos”, pontuou o secretário.

Sem especificar quantitativos, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que “está prevista a chegada de mais medicamentos do kit intubação nesta semana e na próxima”. A falta dos insumos significaram, em várias cidades, impossibilidade de internação de pacientes e elevaram consideravelmente o colapso no sistema de saúde nas últimas semanas. 

“Com isso, será possível dar maior tranquilidade aos hospitais para o atendimento dos pacientes que necessitam de sedação”, alega a pasta. “A expectativa da Secretaria de Estado de Saúde é que, já nos próximos dias, as unidades hospitalares tenham estoque de 5 a 7 dias de medicamentos”, completa. 

O Comitê deliberou sobre a volta às aulas presenciais no Estado, mas não houve ainda determinação final sobre o tema. A SES informa que, “nos próximos dias”, o advogado-geral do Estado, Sérgio Pessoa, se reunirá com “representantes do Tribunal de Justiça de Minas (TJMG) para discutir a autorização para a retomada das aulas de forma gradual e por sistema híbrido de ensino”. Há um protocolo sanitário apresentado pelo Executivo às secretarias de Educação e Saúde dos municípios. 





Com informações do jornal O Tempo*

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
São João del Rei - MG
Atualizado às 13h09 - Fonte: Climatempo
19°
Pancada de chuva

Mín. 12° Máx. 22°

19° Sensação
23.7 km/h Vento
58.5% Umidade do ar
90% (5mm) Chance de chuva
Amanhã (09/05)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 13° Máx. 21°

Sol com muitas nuvens e chuva
Segunda (10/05)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 12° Máx. 20°

Sol com muitas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias