Domingo, 12 de Julho de 2020 06:11
32 999532355
Sabores de Minas Comer bem

Simplicidade, sabor e aconchego no restaurante Tempero da Angela

Logo ali no Bichinho/MG

02/02/2019 14h48 Atualizada há 5 meses
399
Por: Adriano Vianini
Dona Angela e seu tempero. Foto - Mais Vertentes
Dona Angela e seu tempero. Foto - Mais Vertentes

Minas tem sabores que se encontram nos lugares mais encantadores, simples e repleto de pessoas maravilhosas. É incrível o que podemos encontrar com uma boa indicação enquanto desbravamos as estradas reais mineira. E é justamente nesse cenário que encontramos a Dona Angela, proprietária do restaurante mais bem quisto, procurado e disputado do distrito de Vitoriano Veloso, o famoso Bichinho, entre Tiradentes e Prados, com uma das vistas mais lindas da famosa Serra de São José.

 

"Vai diminuindo a cidade, vai aumentando a simpatia, quanto menor a casinha, mais sincero o bom dia... Simplicidade". Essa música de John Ulhoa, eternizada nas vozes de Patu Fu e Érika Machado, resume bem a frugalidade do restaurante Tempero da Angela que ostenta a ausência de artifícios, extravagâncias e excessos desde a decoração até os deliciosos pratos.

 

Nascida e criada no Bichinho, um minúsculo distrito de Prados, repleto de artistas, antiquário, alambiques e ateliês, desconhecida do turismo há cerca de 10 anos, hoje é passagem obrigatória para os amantes da gastronomia mineira, Dona Angela , proprietária do restaurante Tempero da Angela, sempre recebeu elogios pelo seu tempero e seus dotes culinários. Desde que trabalhava em uma pousada da região, ouvia pessoas comentando que ela poderia fazer muito sucesso se abrisse um negócio próprio. E quando a necessidade se juntou com a coragem, ela deu o primeiro passo para um futuro de muito sucesso gastronômico.

 

A família sempre foi um alicerce para Angela. Desde do início recebeu apoio de seus pais, marido e filhos para entrar nessa empreitada. "Comecei a amadurece a ideia para aumentar a renda da família e ajudar a pagar as contas da minha filha mais velha, fulana, na faculdade. Além do mais, eu estava com outros dois filhos, João e Maria, e queria ter condições de oferecer estudo a eles. Meu marido tinha uns bois de carro e vendeu metade dos bois para ajudar. Minha mãe emprestou mais um pouco de dinheiro para completar e assim compramos esse terreno. Mas enquanto isso eu continuava trabalhando na pousada. Até que um dia aconteceu um pequeno imprevisto no trabalho que foi o 'pontapé' que eu precisava. Como eu teria o seguro desemprego, seria o tempo certinho para montar o restaurante e continuar pagando as contas. Eu saí do trabalho em fevereiro de 2003, e em abril começamos a montar as coisas. Fiz as minhas contas e achava que ia atender cerca de 15 a 20 pessoas por final de semana, e isso já ajudaria a melhorar a renda", conta Dona Angela há 40 minutos de abrir o restaurante numa tarde de quarta-feira, 9 de janeiro, onde alguns turistas já aguardavam ao lado de fora.

 

Como nem tudo acontece da forma como previsto, Dona Angela também passou por grandes dificuldades, como a perda do marido por um infarto meses após a abertura do restaurante. "Foi um baque enorme e muito difícil," conta Angela. Mas sem perder a força e a fé de que tudo daria certo, passou a contar com o apoio dos filhos e da família, como uma das irmãs que hoje é o braço direito de Angela na cozinha.

 

Em 16 anos de funcionamento e de boca a boca o restaurante Tempero da Angela se consolidou como um dos mais procurados da região. Nossos sentidos são aguçados logo que se chega ao restaurante e sente o olfato desperta para o cheiro maravilhoso de comida caseira com fogão a lenha. Quando questionamos qual o segredo do tempero que usava, Dona Angela garante que o segredo de seu tempero é não ter segredo. Ela utiliza produtos da região, fez uma horta com couve, alface, temperos naturais e o famoso Ora-Pro-Nóbis aos fundos do restaurante, aberta ao pública. Os ovos, aves e carnes são todos da região, preferencialmente ovos e galinha caipira. "A gente trabalha na maior simplicidade sem uma grande produção de temperos. "Utilizamos somente alho, cebola e pouco sal", revela ela que "no começo até usávamos um pouco de pimenta, mas no dia a dia eu fui descobrindo que os clientes eram diferentes, uns tinham alergia à algumas coisas e fui diminuindo. Tudo sempre feito com muita simplicidade mesmo", explica Angela.

 

Outro segredo, segundo ela, é a forma como é preparado as refeições. "O fogão a lenha fica próximo do público e as refeições são preparadas ali, com os clientes vendo a gente cozinhar, observando. Se não gostam, já vê ali, na hora, enquanto a gente tá fazendo. Se gostar é paixão à primeira vista, ai não tem jeito. Acho que o segredo tá aí; essa abertura ao público, essa honestidade, simplicidade mesmo", revela Angela.

 

O restaurante conta hoje com 15 funcionários registrados, além de diaristas e familiares quando se está na alta temporada. Em feriados prolongados, por exemplo, chega a receber de 300 a 400 pessoas por dia. Mas no dia a dia - o restaurante abre todos os dias da semana, exceto no Natal - o movimento cai para cerca de 200 pessoas que também recebe pessoas das regiões de entorno, que além do atrativo gastronômico temo preço como outro atrativo. "Tento manter o preço que seja justo e ao alcance de todos, sejam turistas ou da região", explica Angela. Não é a toa que mais de 90% dos clientes retornam ao restaurante. A turista de Curitiba, Rosângela Almeida, nos conta que sempre que vai a Tiradentes o roteiro do restaurante é obrigatório, tanto é que está ali pela quarta vez!

Os valores do restaurante são realmente dignos. Durante a semana o almoço livre sai por R$ 28 reais e nos finais de semana e feriados prolongados sai por R$ 32 reais. Você pode se servir à vontade nos fogões à lenha e comer todas as delícias que a casa oferece, incluindo as sobremesas. Eles funcionam todos os dias à partir do meio dia e rendem por toda a tarde.

 

Reconhecido internacionalmente o restaurante Tempero da Angela ganhou o mundo com entrevistas para grandes jornais, como o New York Times e conquistou dezenas de brasileiros ao participar do programa da Ana Maria Braga. Dona Angela, com sua simplicidade, carisma, calma, amor e tempero virou um verdadeiro sucesso e motivo de orgulho para a região. "A vida nossa é um livro aberto, isso que é importante. As pessoas sentirem que estão acolhidas e que damos abertura", explica.

 

Visitar o Tempero da Angela é se deliciar com um dos mais perfeitos sabores que Minas Gerais tem a oferecer. Além de conhecer o gracioso distrito de Bichinho, almoçar por lá é reconfortante, aconchegante e sempre deixa aquele gostinho de quero mais.

Serviço

Tempero da Ângela - Rua Dep. José Bonifácio, 64, Bichinho, Prados - Tel (32) 3353-7010

Abre diariamente das 12h às 16h (durante semana) e das 12h às 17h (finais de semana e feriados prolongados)

Dica: Por ordem de chegada. Chegue cedo, 11h30 se não gosta de esperar.
Valores - R$28 (durante semana) e R$32 (finais de semana e feriados prolongados)

Aceita cartões.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Sabores de Minas
Sobre Sabores de Minas
Sabores e temperos da gastronomia mineira
Prados - MG

Prados - Minas Gerais

Sobre o município
Notícias de Prados - MG
São João del Rei - MG
Atualizado às 06h04 - Fonte: Climatempo
12°
Poucas nuvens

Mín. 12° Máx. 23°

12° Sensação
14.6 km/h Vento
88.8% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (13/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 11° Máx. 25°

Sol com algumas nuvens
Terça (14/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 12° Máx. 25°

Sol e Chuva
Ele1 - Criar site de notícias