Sábado, 27 de Novembro de 2021
17°

Poucas nuvens

São João del Rei - MG

Cultura Literatura

2ª FLITI: Fabrício Carpinejar fala sobre gentileza e lança o livro “Depois é nunca”

Palestra sobre gentileza levou o público às lágrimas e rendeu abraço do autor com organizador do evento; o autor falou um pouco sobre a morte e o luto, temas de seu novo livro

16/10/2021 às 20h18 Atualizada em 18/10/2021 às 15h51
Por: João P. Sacramento
Compartilhe:
Fabrício Carpinejar durante palestra na 2ª FLITI. Foto: Divulgação / FLITI
Fabrício Carpinejar durante palestra na 2ª FLITI. Foto: Divulgação / FLITI

Na manhã deste sábado (16), o poeta e cronista Fabrício Carpinejar realizou a palestra “A arte poética da convivência - o poder da gentileza”, na 2ª edição da Feira Literária de Tiradentes. O jornalista, e grande nome da literatura no país, ainda lançou seu livro “Depois é Nunca”, que fala sobre o luto.

Em entrevista exclusiva ao Mais Vertentes, Carpinejar falou um pouco sobre a escolha do tema da palestra e afirmou que “a gentileza é o amor em movimento. É o óleo das relações. Para você ter gentileza, você precisa ter educação. Para você ter gentileza, você precisa antes se admirar. Precisa ter amor próprio sobrando. Você não tem como ter gentileza, se você não gosta de estar com você. A gentileza é como se fosse um refinamento da presença”.

Na foto, Fabrício Carpinejar abraça o organizador do evento, Alex Borges.
Foto: Divulgação / FLITI

A palestra de Fabrício Carpinejar trouxe para a discussão temas como afeto, respeito e promessas. Após sua fala, as pessoas foram assumindo o microfone e começaram a expor vários casos onde os temas tratados pelo escritor impactam suas vidas. Ao final, muitas lágrimas puderam ser vistas entre quem assistia ao bate-papo. Ainda impactado pelas palavras de Carpinejar, o organizador do evento, Alex Borges, recebeu um abraço do autor convidado.

“Depois é nunca”

Em Tiradentes para lançar seu novo livro, “Depois é nunca”, Carpinejar, que já escreveu sobre amigos, família, casamento, agora começou a falar sobre o luto. Para o autor, a razão desta temática foram “dois anos terríveis. Todo muito foi tocado pela morte de algum sentido ou de algum jeito. Eu tinha a responsabilidade afetiva de tocar nesse assunto, de expor esse assunto, de enfrentar esse assunto. O quanto eu poderia ajudar no processo de reconhecimento de uma ausência”. Carpinejar ainda afirmou que falar de morte é um tabu, pois "sempre achamos que a morte é dos outros e nunca é nossa”.

 

Em “Depois é nunca'', por meio de crônicas, Carpinejar fala sobre luto, ou o quanto não sabemos reagir à morte. Ele também falou sobre a relação entre Pais e Filhos, da relação marido e mulher; Fabrício Carpinejar brincou que espera que a próxima temática de seu livro “seja algo mais feliz”.

Sobre participar da 2ª Feira Literária de Tiradentes, considerado interior do Brasil, Carpinejar afirmou que não acredita muito nessa noção de interior. “Porque, com as redes sociais, tudo é centro, e Tiradentes é um centro de conhecimento. Você vai perceber, por exemplo, que neste final de semana, Tiradentes, eu acho que quase dobra o seu número de habitantes. Isso é algo absurdo e inimaginável”, disse.

O escritor afirmou  que Tiradentes “é uma cidade que tem uma história, e nós estamos carentes de história”. Ele ainda disse que “estamos carentes de passado, de preservação do passado, de contato com as raízes e o contato, às vezes, pode ser pela comida típica ou pode ser pelo passeio por trilhas, pode ser pela visitação às igrejas”. Carpinejar afirma que estar em Tiradentes é “sentir-se que pertence a uma tradição”.

Dica para novos escritores

“Escrever à mão”, afirmou o escritor. Para ele, “é importante ter contato com a letra. Você memoriza muito mais escrevendo à mão e é uma maneira de trabalhar mais o texto, decantar o texto”. “Se tu vai escrever à mão, você tem o primeiro tratamento à mão. Você vai olhar de novo para passar ao computador. É certo de fazer isso! Se tu escrever direto no computador, não significa que você vai reler. Normalmente não”, concluiu.

 

Faça parte e ajude o Mais Vertentes

Precisamos de você para seguirmos independentes, investigativos e fortes. Ajude-nos com o jornalismo que nasceu para cutucar e mudar. Ou vai continuar lendo só o que eles querem que publique? 

Ajude aqui o Mais Vertentes!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias