Domingo, 28 de Novembro de 2021
19°

Poucas nuvens

São João del Rei - MG

Política Repúdio

São João del-Rei: Leitores, jornalistas e vereadores da região se solidarizam com a censura sofrida pelo Mais Vertentes vinda do Prefeito Nivaldo de Andrade (PSL)

Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais também se posiciona em repúdio à censura do chefe do Executivo são-joanense ao portal Mais Vertentes

12/11/2021 às 15h18 Atualizada em 12/11/2021 às 20h03
Por: Thais Marques
Compartilhe:
Arte: David G. Ferreira/Mais Vertentes
Arte: David G. Ferreira/Mais Vertentes

Após a censura sofrida pelo portal Mais Vertentes nessa quinta-feira (11), vinda do prefeito de São João del-Rei, Nivaldo de Andrade (PSL) e seus advogados  Elvira Morethson Vale e Bruno Souza Santos, diversos leitores, jornalistas e vereadores da região se solidarizam e enviaram mensagens de repúdio contra a censura vinda do chefe do Executivo são-joanense.

Depois da repercussão de mais uma censura ao Mais Vertentes, desta vez vinda do chefe do Executivo são-joanense e seus advogados, diversos leitores, jornalistas e vereadores da região enviaram mensagens ao portal pelo Instagram e pelo Facebook oficial do Mais Vertentes.

Dentre as diversas pessoas que se solidarizaram, estão os vereadores de São João del-Rei Fabiano Pinto (DEM), Igor Sandim (Podemos), Lívia Guimarães (PT), Professor Leonardo (PSDB) e Rogério Bosco (PT); vereadora de Prados, Patrícia Pinheiro (PT); os jornalistas Júlio Wiziack - Folha de São Paulo, Simone Moreira - Sou Santos Dumont e Lucas Nego - Estado de São Paulo.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais também demonstrou solidariedade à censura sofrida pelo Mais Vertentes, além de toda a rede de rádios Estrada Real FM 90,9 e a página de humor São João da Depressão (SJDD).

Entenda o caso

Nivaldo de Andrade pede na justiça que a coluna social intitulada “Aí, que Absurdo! Enquanto prefeito e família estão na Europa você continua juntando dinheiro para pagar promessa em Aparecida” seja retirada do ar em 24 horas, sob pena de multa diária de R$ 500,00. Quem deferiu o pedido de tutela de Nivaldo, em primeira instância, foi a Juíza de Direito, Maria Augusta Balbinot, da Unidade Jurisdicional da Comarca de São João del-Rei.

Segundo Nivaldo e seus advogados, “sem fundamentação alguma, afim de engordar, aviltar e enaltecer seu Portal de Notícias, os Réus acusaram o Autor e Outros, leviana e irresponsavelmente, pois alegaram e nada provaram, demonstrando nitidamente que o fizeram com o precípuo objetivo de enxovalhar e macular a imagem do autor, quer como Prefeito, quer como ser humano”.

O editor chefe do portal Mais Vertentes, Adriano Vianini, lamenta e repudia veemente a decisão da Juíza de Direito, Maria Augusta Balbinot, que optou por acatar o pedido do prefeito Nivaldo de Andrade e mandar censurar o portal e o trabalho do jornalista. "É livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença." Essa garantia está na Constituição Federal (inciso IX do Art. 5o) e equivale a dizer que a censura é ilegítima no Brasil. No entanto, apesar desse e de outros preceitos legais, a imprensa brasileira, cujo dever é publicar informações de interesse público, tem sido censurada de forma recorrente por decisões judiciais. "Vivemos um período obscuro no Brasil", ressaltou o jornalista.

A notificação chegou à redação do portal nessa quarta-feira (10) e o portal Mais Vertentes acatou a determinação da Juíza Maria Augusta Balbinot, mas irá recorrer da decisão.

Leia mais: NOTA DE REPÚDIO: Censura ao portal Mais Vertentes é ilegítima e só reforça o coronelismo da região

Faça parte e ajude o Mais Vertentes

Precisamos de você para seguirmos independentes, investigativos e fortes. Ajude-nos com o jornalismo que nasceu para cutucar e mudar. Ou vai continuar lendo só o que eles querem que publique? 

Ajude aqui o Mais Vertentes!

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias