Segunda, 06 de Dezembro de 2021
21°

Muitas nuvens

São João del Rei - MG

Educação Volta às aulas

São João del-Rei: Conselho Universitário da UFSJ aprova Passaporte Vacinal para o retorno presencial

Documento aprovado nesta semana pelo Consu pontua os protocolos sanitários para o retorno das atividades presenciais e o cronograma do semestre letivo de 2022 da UFSJ

25/11/2021 às 17h54
Por: Thais Marques
Compartilhe:
Foto: Divulgação/Universidade Federal de São João del-Rei
Foto: Divulgação/Universidade Federal de São João del-Rei

O Conselho Universitário da Universidade Federal de São João del-Rei (Consu-UFSJ) aprovou na última segunda-feira (22) o documento de "Linhas gerais do planejamento do retorno gradual das atividades presenciais" na universidade. Para o retorno presencial, o plano definiu a exigência de apresentação do passaporte vacinal para retorno presencial entre outras ações de prevenção à Covid-19. O semestre letivo da UFSJ começa no dia 07 de março e termina no dia 09 de julho.

O relator do Consu, professor Alberto Tibaji, destacou o cronograma de retorno presencial, conforme o plano: 03 de janeiro, retorno de gestores e as chefias de setores (cargos de direção e com funções gratificadas); 17 de janeiro, setores deverão funcionar com pelo menos 50% do pessoal da unidade no trabalho presencial; 31 de janeiro, com no mínimo 75%; 14 de fevereiro, retorno de 100%.

O professor ressaltou também que as linhas gerais se referem ao primeiro semestre de 2022. Nesse período, servidores que se enquadram nos casos previstos pela Instrução Normativa SGP/SEDGG/ME 90/2021 poderão permanecer no trabalho remoto. De acordo com a instituição, no início do mês de novembro, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFSJ (Conep) já havia aprovado o calendário acadêmico. O semestre letivo começa em 07 de março e prossegue até 09 de julho.

Tibaji destacou os questionamentos do Sinds-UFSJ, o sindicato dos técnicos administrativos. O primeiro deles, as necessidades de mudança na infraestrutura física de setores que convivem com muitos servidores em um mesmo espaço e sem ventilação adequada, segundo o relator deve ser tratado pela gestão, o que foi confirmado pelo reitor, professor Marcelo Andrade, que conduziu a reunião.

Já quanto à exigência de passaporte vacinal, Tibaji explicou que é uma demanda amparada juridicamente, inclusive por portaria do Ministério da Saúde, e será contemplada pela UFSJ.

Conselheiros também levantaram questões diretamente ligadas à volta às aulas presenciais. Uma delas, a ocupação das salas de aula. Sobre esse tema, Tibaji explica que o plano Minas Consciente aboliu a exigência do distanciamento. A situação dos professores protegidos pela IN 90 também gerou dúvidas, uma vez que têm direito a não voltar ao trabalho presencial. Esses docentes, o plano confirma, podem oferecer disciplinas remotamente.

Em relação à decisão, o SINDS-UFSJ informou na tarde desta quinta-feira (25) que "os(as) sindicalizados(as) entendem que os direitos individuais não devem se sobrepujar ao interesse coletivo em uma questão de saúde pública, nesse caso, a pandemia da Covid-19, que já deixou mais de 613 mil mortos no Brasil".

"Mesmo na universidade pública, um dos principais pilares da ciência nacional, ainda há espaço para o negacionismo e existem aqueles que questionam a exigência do comprovante de vacinação contra a Covid-19", informa o SINDS-UFSJ através de nota.

O reitor Marcelo Andrade ressaltou que "para além do plano de retorno, aprendemos muita coisa durante a pandemia, como, por exemplo, a forma de organizar reuniões e evitar aglomerações". O protocolo de biossegurança da UFSJ também foi atualizado este mês, de acordo com a instituição. Para mais informações, acesse https://ufsj.edu.br/covid19/

Com informações: UFSJ e SINDS-UFSJ*

Faça parte e ajude o Mais Vertentes

Precisamos de você para seguirmos independentes, investigativos e fortes. Ajude-nos com o jornalismo que nasceu para cutucar e mudar. Ou vai continuar lendo só o que eles querem que publique? 

Ajude aqui o Mais Vertentes!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias