Quinta, 20 de Janeiro de 2022
19°

Poucas nuvens

São João del Rei - MG

Tiquim de tudo Lenda são-joanense

Jerônimo: o sino assassino que foi julgado e preso

Lenda conta que há 82 anos, Sineiro foi esmagado por sino na igreja de São Francisco de Assis; sino foi julgado, condenado e preso.

27/11/2021 às 14h07 Atualizada em 27/11/2021 às 15h13
Por: David G. Ferreira
Compartilhe:
Sino São Francisco, na torre esquerda da Igreja de São Francisco de Assis, São João del-Rei. Foto: Mais Vertentes
Sino São Francisco, na torre esquerda da Igreja de São Francisco de Assis, São João del-Rei. Foto: Mais Vertentes

A cidade de São João del-Rei é recheada de histórias e mistérios que compõem o imaginário cultural urbano. Uma dessas lendas conta a história de um dos casos mais intrigantes que teve início na Semana Santa do ano de 1939, quando todos celebravam a procissão dos passos e de repente, Jerônimo, o sino mais importante da Igreja de São Francisco parou de tocar. Jerônimo havia cometido um assasinato.

Os jornais da década de 60 contam que durante a festividade, um sineiro de nome João Pilão, que dobrava sinos a anos, exagerou na bebida no dia da procissão. Se empolgou no duelo de sinos que ocorre até os dias de hoje, e, infelizmente, foi esmagado contra a parede pelas 4 toneladas do sino Jerônimo. O sino foi amarrado e impedido de tocar para evitar acidentes, e aguardou silenciosamente por seu julgamento.

Depois de julgado, Jerônimo foi condenado a dez anos de prisão, no antigo Arsenal da Guerra do Rio de Janeiro, impedido de ser dobrado.  Mas a história de Jerônimo não termina aqui. Após "cumprir sua pena", nos seus dois primeiros anos de liberdade, novamente durante a Semana Santa, o sino estava em pleno uso quando seu badalo se soltou, caindo da torre e quase acertando uma garota que transitava pelo pátio da igreja.

Após o segundo crime, conforme a lenda conta que o general Dorneles, militar e antigo morador da cidade, decidiu punir novamente o sino, mas dessa vez com a morte. 

Devido a uma antiga tradição portuguesa, os sinos são batizados quando são fundidos e  recebem nomes. A lenda conta que Jerônimo foi refundido, e rebatizado com o nome de Sino São Francisco, e ocupa até os dias de hoje a torre esquerda da Igreja de São Francisco de Assis.

Não foram encontradas matérias jornalísticas sobre o caso durante o acontecimento, e alguns moradores e padres da igreja negam que a história tenha acontecido. Contudo, muitos moradores da cidade ainda hoje acreditam na história, e juram de pé junto que o sino da igreja foi preso, julgado e condenado à morte. E você, acredita nessa história?

Faça parte e ajude o Mais Vertentes

Precisamos de você para seguirmos independentes, investigativos e fortes. Ajude-nos com o jornalismo que nasceu para cutucar e mudar. Clique aqui para mais informações sobre o nosso trabalho!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias