Quinta, 20 de Janeiro de 2022
20°

Poucas nuvens

São João del Rei - MG

Nossa Gente Sonhos em Cinza

São João del-Rei: EP Sonhos em Cinza narra dilemas cotidianos vividos por um jovem negro brasileiro durante o isolamento social

O compositor fluminense João V. Bessa se inspirou nas ruas e esquinas de São João del-Rei para descrever, em seu EP de estréia, a necessidade de um jovem negro de romper com o silenciamento e transpirar durante o isolamento e distanciamento social causados pela pandemia da Covid-19

05/12/2021 às 10h59 Atualizada em 05/12/2021 às 11h14
Por: Thais Marques
Compartilhe:
Com inspiração em sua vivência em São João del-Rei, Sonhos em Cinza é o EP de estréia do compositor fluminense João V. Bessa. Arte: Rayan Rocha
Com inspiração em sua vivência em São João del-Rei, Sonhos em Cinza é o EP de estréia do compositor fluminense João V. Bessa. Arte: Rayan Rocha

O EP "Sonhos em cinza", lançado no dia 26 de novembro, é o primeiro lançamento do compositor João V. Bessa, nascido em Cordeiro (RJ) e residente em São João del-Rei. Com  arranjos intimistas e introvertidos, o compositor descreve sonhos, arquétipos e emoções, ao lado de dilemas cotidianos e transtornos vividos por um jovem negro brasileiro, principalmente durante o isolamento social em razão da pandemia da Covid-19.

“São canções que narram contos das ruas e esquinas da cidade, onde cruzamos com o outro, encontramos com o que nos fascina e mobiliza, lado a lado com o que há de pior, com o que é nocivo e adoecedor. Nosso corpo desfia memórias e clama por transpirar os seus sentimentos pelo mundo. Porque tudo que alcança nossos sentidos afeta nossa essência. Essa é a ideia que inspira ‘Sonhos em cinza’, diz João Bessa.

Graduado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), João Bessa pega como influência as estruturas narrativas e o gosto pela contação de histórias, como na faixa de abertura do EP, Persistência da memória. Nela, parte da trágica história que ouviu, de um acidente em um casamento, para uma reflexão sobre o tempo, os limites da vida e da morte; da memória.

Já a segunda faixa, Boa constrictor, está focada nas emoções, “porque fala em adoecimento, de tristezas acumuladas: transtornos da mente que sequestram seu orgulho”, de acordo com o compositor. Depois de tratar de términos e dores, “Sonhos em cinza” encerra falando em amor, mas não necessariamente em romance, é O amor nos subsolos

João conta que a ideia de escrever essa canção veio depois de ler o livro Memórias do subsolo, de F. Dostoiévski (1863). “Essa história me fez pensar no que há de mais profundo em mim, em lembranças que estão ocultas, mas que são parte importante do que eu sou”, comenta, relacionando os versos com “uma necessidade de romper com o silenciamento e transpirar”, diz o compositor.

As três faixas do EP foram produzidas na íntegra por João Bessa, desde a composição das letras e dos arranjos, durante os meses de março de 2020 e janeiro de 2021 e gravadas no El Niño Studio e Lab Criativo de São João del-Rei, onde houve a colaboração de Juliano Pires (captação de áudio e mixagem) e Henrique Nolasco (masterização), além do multiartista Rayan Rocha, responsável pela arte de capa.

João V. Bessa durante sua apresentação na Marcha Zumbis e Dandaras dos Palmares, no dia 20 de novembro. Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

O compositor nasceu em 1997, na cidade de Cordeiro, região serrana fluminense. Por influência de sua mãe, que também toca o violão, e de seu pai, que foi um entusiasta de música, teve seus primeiros contatos com os instrumentos ainda na infância. Aos 12 anos escreveu sua primeira canção, que chamou Abra logo seu coração, e passou a tomar a composição como “um tipo de brincadeira''. A diversão se tornou um interesse e, aos 15 anos, João se juntou com amigos de escola para formar uma banda que tocava clássicos do rock.

Na UFSJ tornou-se repórter, cobrindo desde torneios de futebol amador até a política municipal para, mais tarde, enveredar pelo jornalismo cultural, numa cidade recheada de artistas. Também realizou pesquisas acadêmicas, estudando o papel das mensagens presentes nas canções populares e a construção das subjetividades negras. 

Em duo com a cantora Isis Ferreira, esteve presente no Festival de Inverno El Niño e no Vista Minas, além de encontros sindicais e do Movimento Negro. João, que também é poeta, conseguiu sua primeira publicação neste mês, emplacando o poema O marasmo dos pastos na Artéria do Simpósio Internacional de Artes e Urbanidades (SIAUS/UFSJ). 

O EP Sonhos em Cinza, de João V. Bessa, está disponível no Spotify. Para contratar o artista, entre em contato através do email [email protected]

 

Com informações: ASCOM/João V. Bessa*

Faça parte e ajude o Mais Vertentes

Precisamos de você para seguirmos independentes, investigativos e fortes. Ajude-nos com o jornalismo que nasceu para cutucar e mudar. Ou vai continuar lendo só o que os poderosos querem que publique? 

Ajude aqui o Mais Vertentes!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias