Quinta, 20 de Janeiro de 2022
20°

Poucas nuvens

São João del Rei - MG

Cidades Nada concreto

Minas Gerais: Zema deixa reunião sem anunciar medida efetiva para mitigar prejuízos das chuvas

Governador disse que ajudará as cidades atingidas com a liberação de “projetos”, desde que solicitados pelos administradores municipais

10/01/2022 às 18h25 Atualizada em 10/01/2022 às 18h44
Por: Thais Marques
Compartilhe:
Governador não ficou até o fim da reunião, convocada por ele mesmo, e também não anunciou nenhuma medida imediata aos municípios atingidos pelas chuvas dos últimos dias. Foto: Reprodução/O Tempo
Governador não ficou até o fim da reunião, convocada por ele mesmo, e também não anunciou nenhuma medida imediata aos municípios atingidos pelas chuvas dos últimos dias. Foto: Reprodução/O Tempo

Em meio a catástrofes talvez nunca registradas com tanta intensidade como no período chuvoso que Minas tem enfrentado nos últimos dias, o governador Romeu Zema (Novo) apenas abriu uma reunião nesta segunda-feira (10) com os prefeitos das cidades mais atingidas pelos temporais e a deixou minutos depois, repassando a condução para o seu secretário de Governo, Igor Eto.

Zema não anunciou nenhuma medida efetiva para mitigar prejuízos, e sua equipe apenas disse que ajudará as cidades atingidas com a liberação de “projetos” desde que solicitados pelos administradores municipais.

Não se falou durante a reunão sobre como o governo de Minas pretende recuperar as estradas, que estão em verdadeiro estado de colapso, se haverá alguma verba extra dos recursos do Estado para garantir a alimentação para os desabrigados e nem mesmo explicou direito se tem ou não um verdadeiro plano de mitigação dos prejuízos.  

A reunião emergencial para enfrentamento dos danos provocados pelas chuvas que estão caindo sobre Minas nos últimos dias foi convocada pelo próprio governador, na Cidade Administrativa em Belo Horizonte, porém foi concluída sem o anúncio de nenhuma medida emergencial, frustrando a expectativa de prefeitos que estão vendo a tragédia de perto e sendo cobrados pelas populações desabrigadas.

No meio da reunião, a palavra foi repassada para a presidente da Granbel, Ilce Rocha, que, em meio à situação de catástrofe, apenas elogiou o governador, sem também apontar alternativas reais para os problemas até agora registrados. 

Sem mencionar nada de fato, o governador foi o primeiro a deixar a reunião, que ainda levou mais de uma hora para terminar. As paralisações das principais vias de acesso a Minas, como a BR– 040 e a BR–381, não foram sequer analisadas.

Os problemas de destruição da malha viária de dezenas de cidades e os graves danos ocasionados às vias vicinais também não tiveram espaço na pauta definida pelo Estado, que se limitou a dizer que conta com a liberação de verbas do governo federal, de emendas de deputados federais e de integrantes da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg).

Conforme noticiado pelo Mais Vertentes, até o momento, nove mortes foram registradas durante o período chuvoso, 3.409 pessoas estão desabrigadas e outras 13.734 estão desalojadas em Minas Gerais. Leia mais informações aqui.

 

Com informações: O Tempo*

Faça parte e ajude o Mais Vertentes

Precisamos de você para seguirmos independentes, investigativos e fortes. Ajude-nos com o jornalismo que nasceu para cutucar e mudar. Ou vai continuar lendo só o que os poderosos querem que publique? 

Ajude aqui o Mais Vertentes!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias