Quarta, 25 de Maio de 2022
12°

Poucas nuvens

São João del Rei - MG

Geral Não pode recorrer

Belo Horizonte: Cervejaria Backer é multada em mais de R$ 5 milhões e não poderá recorrer

A empresa não pode mais recorrer da multa no âmbito administrativo, pois todos os recursos já acabaram. A fábrica da Backer foi interditada em janeiro de 2020, após surgirem denúncias de contaminação das cervejas com dietilenoglicol

06/05/2022 às 11h24
Por: João P. Sacramento
Compartilhe:
Foto: Divulgação / Agência Brasil
Foto: Divulgação / Agência Brasil

A Cervejaria Backer foi multada em R$ 5.099.193 pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), nesta quinta-feira (05). A empresa não pode mais recorrer da multa no âmbito administrativo, pois todos os recursos já acabaram. O Mapa também encerrou os procedimentos de apuração das infrações administrativas cometidas pela Backer.

A multa aplicada foi por ter ampliado e remodelado a área de instalação industrial registrada, sem devida comunicação ao Mapa, deixar de atender intimações, dentre elas a de recolhimento dos produtos, alterar a composição de cervejas sem a prévia comunicação, comercializar cerveja sem devido registro do produto e por produzir, engarrafar e comercializar 39 lotes de cerveja com presença de monoetilenoglicol ou dietilenoglicol.

Após detectadas as infrações, pela equipe de auditores fiscais federais agropecuários, o MAPA realizou a aplicação de multa, além de inutilizar os produtos apreendidos e interditar parcialmente o estabelecimento.

Em abril, o Ministério autorizou a retomada parcial de produção e comercialização de cerveja na fábrica. Foi concedido à cervejaria o uso de duas adegas no parque industrial da empresa, após serem atendidas as exigências para garantir a segurança dos produtos, referentes às condições dos tanques de fermentação e equipamentos que serão utilizados neste retorno.

Vale lembrar que a fábrica da Backer foi interditada em janeiro de 2020, após surgirem denúncias de contaminação das cervejas com dietilenoglicol. Na época, 29 pessoas foram contaminadas e 10 morreram por consumir a cerveja Belorizontina. 

Ao todo, o Mapa e a polícia recolheram e apreenderam na fábrica da Backer e no comércio em Minas Gerais 79.481,34 litros de cerveja com presença dos contaminantes, de várias marcas e vários lotes, sendo deste total 56.659 garrafas, que ofereciam riscos aos consumidores. Também foram recolhidos todos os produtos da marca do comércio.

Ainda de acordo com o Mapa, para retornar ao mercado, a Backer substituiu em seu processo o fluido refrigerante por solução hidroalcoólica - solução que contém água e álcool. Desde novembro de 2021, a empresa vem produzindo cerveja no parque fabril em formato teste para que os produtos fossem submetidos a novas análises. Com a provação, a Cervejaria Backer está autorizada a produzir, envasar e comercializar seus produtos.

Com informações: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Faça parte e ajude o Mais Vertentes

Precisamos de você para seguirmos independentes, investigativos e fortes. Ajude-nos com o jornalismo que nasceu para cutucar e mudar. Ou vai continuar lendo só o que “eles” querem que você saiba?  

Ajude aqui o Mais Vertentes!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias