Segunda, 27 de Junho de 2022
12°

Muitas nuvens

São João del Rei - MG

Polícia Falsa Vacinação

Minas Gerais: Justiça aceita denúncia contra falsa enfermeira e acusados de aplicar 'vacinas' contra covid em BH

Ela foi denunciada por estelionato e associação criminosa, uso de documento falso e lavagem de dinheiro. Além dela, outros cinco envolvidos se tornaram réus

03/06/2022 às 11h47
Por: João P. Sacramento
Compartilhe:
Cláudia Torres foi denunciada por estelionato e associação criminosa, uso de documento falso e lavagem de dinheiro. Foto: Internet / Reprodução
Cláudia Torres foi denunciada por estelionato e associação criminosa, uso de documento falso e lavagem de dinheiro. Foto: Internet / Reprodução

A Justiça aceitou denúncia feita pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e tornou ré Cláudia Torres, a falsa enfermeira, que aplicou supostas vacinas contra a covid em empresários de Belo Horizonte no início de 2021. Em abril, o MPMG denunciou por estelionato e associação criminosa, uso de documento falso e lavagem de dinheiro.

Além da falsa enfermeira, se tornaram réus outras cinco pessoas que teriam participado do esquema. “Citem-se os acusados para, em 10 dias, oferecerem resposta à acusação, por escrito”, informou a decisão assinada pelo juiz Rodrigo Heleno Chaves, do último dia 17 de maio.

Durante as investigações da Polícia Federal, a corporação concluiu que o companheiro dela Ricardo Almeida, o filho Igor Torres e um amigo, que atuou como motorista durante a falsa vacinação, Júnior Guimarães, cometeram os crimes de estelionato, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

O irmão de Cláudia, Vagner Torres, e a filha, Daniele Torres, foram denunciados por associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Segundo as investigações, a falsa enfermeira aplicou um golpe em quem tomou a substância aplicada por ela. Empresários mineiros chegaram a pagar R$600. Na época do esquema, o imunizante ainda engatinhava para chegar em grande escala no Brasil, sendo priorizado para idosos e grupos de risco.

Durante o inquérito, se constatou que as pessoas que contrataram a falsa enfermeira, tomaram soro fisiológico no lugar da vacina. A investigação realizou operações na casa de Cláudia e encontrou frascos com soro no local.

A defesa não se pronunciou sobre a decisão.

Com informações: Itatiaia

Faça parte e ajude o Mais Vertentes

Precisamos de você para seguirmos independentes, investigativos e fortes. Ajude-nos com o jornalismo que nasceu para cutucar e mudar. Ou vai continuar lendo só o que “eles” querem que você saiba?  

Ajude aqui o Mais Vertentes!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias