Terça, 07 de Julho de 2020 10:22
32 999532355
Cidades Especial Covid-19

Municípios vizinhos e entidades sociais estão assustados com o "liberou geral" em São João del-Rei

São João del-Rei vai na contramão dos demais municípios do Campo das Vertentes e tem contribuído para a ampliação da pandemia do novo coronavírus em municípios menores.

11/06/2020 15h27 Atualizada há 4 semanas
3.168
Por: Adriano Vianini
São João del-Rei. Foto: Mais Vertentes
São João del-Rei. Foto: Mais Vertentes

Atualização às 19h30 - prefeito de São Tiago

O Governo Estadual transferiu para os municípios e a população o controle da propagação do novo coronavírus. Liberou ao longo das últimas semanas uma série de atividades pelo programa Minas Consciente, tais como restaurantes, bares, hotéis e pousadas, com a esperança de que as pessoas obedecessem às regras da higiene que são necessárias para evitar a transmissão do vírus.

Pois bem. O problema é que estamos no ápice da curva de infecções pela COVID-19 no Brasil, no estado de Minas Gerais e também nos municípios. 

No Campo das Vertentes, municípios vizinhos a cidade de São João del-Rei e uma série de entidades sociais sem fins lucrativos, se mostram preocupados com a inoperância do poder público local, especialmente da Prefeitura Municipal, na fiscalização e controle do comércio que virou uma espécie de "liberou geral” na região.

Outra grande preocupação dos municípios vizinhos e das entidades é com a falta de consciência da população, e que muita gente ainda ignora as recomendações achando que tudo é um exagero e que, como pensa o nosso presidente, não vai passar de uma “gripezinha”. 

Cidades vizinhas, e praticamente coladas a São João del-Rei, como Santa Cruz de Minas e Tiradentes, estão aflitas com a falta de senso comum do poder público e da população. Outras cidades como Barroso e São Tiago também estão preocupados e pedem consciência e prudência de todos os envolvidos.

 

Santa Cruz de Minas

Prefeita Sinara Campos. Foto: Rede Social

Mesmo com uma série de medidas restritivas realizada pela Prefeitura Municipal de Santa Cruz de Minas não foi o suficiente para conter o vírus. A prefeita Sinara Campos (sem partido), confirmou na noite de ontem (10 de junho), mais dois casos de transmissão comunitária do novo coronavírus no município, totalizando seis casos com dois óbitos. 

Segundo a prefeita, em vídeo divulgado nas redes sociais, “oferecer testes rápidos não elimina a doença. Exigir do Estado é nosso direito e direito de vocês, mas fazer a nossa parte é nossa obrigação. E não dá para relaxar e pensar que está tudo bem, pois não está”, disse a prefeita.

“A gente não pode obrigar as pessoas infectadas a ficarem dentro de suas casas de quarentena, porque se dependesse de mim, ou tivesse uma lei que obrigasse, eu já teria feito", ressaltou 

A prefeita também disse ter se reunido com os donos de pousadas que, em conjunto, entenderam não ser o momento de reabertura. E isso, segunda a prefeita, está sendo feito em toda a região (Carrancas, Tiradentes, Resende Costa, São Tiago e outros), exceto em São João del-Rei que, segundo ela, “não está tendo esses cuidados”.

A prefeita também desabafou e mandou um recado ao município vizinho, São João del-Rei: "Não adianta só a gente fazer a nossa parte. Nós precisamos que o município vizinho [SJDR] faça a parte dele também. A gente precisa do município vizinho para muitas coisas, porém tomem cuidado ao ir na cidade”, alertou Sinara.

"Vocês gestores e gestor de São João del-Rei; vocês irão criar um colapso na nossa região se não tiverem medidas mais sérias. Parem de fazer calçamento, de fazer asfalto, pelo amor de Deus! Nos ajude a investir nas barreiras, em prevenção, em testes rápidos. Parem de gastar recursos próprios com coisa que não precisam. É minha sugestão, enquanto prefeita, e que será prejudicada pela ação irresponsável do município vizinho”, desabafou. 

Segundo Sinara, o município de Santa Cruz de Minas tem tomado diversas medidas de prevenção, seguindo protocolos de higienização, orientações do Ministério da Saúde, e até criando medidas para auxílios emergenciais. Ela informou ainda que, ao contrário do que foi divulgado, o município de Santa Cruz de Minas ainda não recebeu nenhuma verba do Governo Federal para combater o coronavírus. E, segundo ela, o recurso que será enviado é menor do que foi divulgado. “Não temos compromisso nenhum do Governo Federal e nem do Estadual com os municípios pequenos”, informou.

A prefeitura também ressaltou que a partir da próxima semana serão reforçadas as barreiras sanitárias e recomendou à população que "trabalha em SJDR e mora em Santa Cruz, que passe em nossa barreira para fazermos uma triagem e recomendar cuidados. É hora de termos consciência. Não é hora de sair para a rua! Vamos sair com prudência e seriedade. As nossas ações colocam em risco a vida do outro”, reforçou.

 

Tiradentes

Prefeito Zé Antonio do Pacu
Foto: rede social

Já a outra cidade vizinha, Tiradentes, o prefeito Zé Antonio do Pacu (PSDB), também se diz preocupado com o aumento de novos casos do novo coronavírus na região e o quanto isso esta impactando os  municípios menores. Segundo o prefeito, "o pico de infectados da nossa região está acontecendo agora”.

Tiradentes teve que postergar, por tempo indeterminado, a reabertura do comércio, pousadas e restaurantes justamente pelo aumento da pandemia em São João del-Rei e região. A cidade histórica, até o momento, registrou apenas um infectado pela COVID-19 mas que, infelizmente, veio a óbito.

Segundo o prefeito, as decisões deveriam ser mais regionalizadas, pois um impacta ao outro e, com isso, não adianta só alguns tentarem fazer a coisa correta, mas deveriam ser todos. “Não adianta Tiradentes fazer o dever de casa, sendo que tenho tiradentinos quase todos os dias indo a São João del-Rei para fazer suas obrigações. Portanto, não adianta a gente cuidar de Tiradentes, mas ter alguma cidade aberta na região", disse o prefeito. 

"A flexibilização deve acontecer sim. Mas de uma forma consciente, como estamos fazendo, treinando as empresas e seus colaboradores, buscando conscientizar a população, dando condições para uma reabertura de forma consciente e responsável", informou.

Segundo o Zé do Pacu, a Prefeitura de Tiradentes realizou uma série de treinamentos com proprietários de bares, restaurantes e pousadas, em parceria com a Associação de Empresário Tiradentes (Asset), para "uma reabertura de forma correta e segura. Os treinamentos envolveram proprietários de negócios e colaboradores para que tenham uma base mais precisa e sólida sobre as leis sanitárias vigentes, trazendo mais segurança a todos os nossos colaboradores", informou. E contou ainda que, em parceria com o restaurante Angatú, foram realizados visitas monitoradas, e que ficaram encantados com o tipo de treinamento que o restaurante tem realizado com seus colaboradores para atender futuros clientes.

“Nossa intenção, quando reabrirmos a cidade, é que o nosso tiradentino - que vai receber o turista - tenha a segurança de que não vai levar esse vírus para casa. Ele também passará confiança e tranquilidade ao turista que visitar Tiradentes. Não podemos abrir de qualquer forma, a toque de caixa o comércio”, explicou Pacu. "Sofro com os comerciantes pequenos de Tiradentes, pois eu sou um deles (prefeito também é proprietário de uma pousada), pois não temos 'gordura' para ficarmos fechados por muito tempo, porém sempre digo que é melhor reerguermos com vida do que morrer com dinheiro no bolso", concluiu. 

Outra questão apontada pelo prefeito é que a responsabilidade não é só dos prefeitos. Segundo Zé do Pacu, os políticos representam os anseios da maior parte da população. “Não adianta ofender Bolsonaro ou o Zema, pois eles representam os seus eleitorados - por mais que não tenhamos votado neles. O prefeito também representa o que a maioria da população pensa. Ele trabalha de acordo com a pressão popular", espetou Zé à vizinha São João del-Rei. E completou que, "particularmente, vejo em SJDR, um grande movimento de pessoas despreocupadas com o coronavírus. Isso me intriga, porque muitos tiradentinos dependem de SJDR. E Tiradentes, Santa Cruz de Minas e São João del-Rei são praticamente germinadas e no limite entre uma e outra".

Ele ressaltou ainda que “tento apenas ser mais racional e não ceder às pressões de forma emocional, pois busco muitos estudos científicos que justificam o verdadeiro sentido do ato. Mas a população tem que se conscientizar", reforçou. "Em Tiradentes nosso zelo vai servir para que o município possa ser reerguer rapidamente, pois somos a primeira prefeitura do Brasil a implantar o Alvará Covid-19 que traz normas para uma reabertura consciente e com segurança para colaboradores e visitantes", concluiu.

 

Barroso

Prefeito Reinaldo Aparecida Fonseca
Foto: rede social

O Prefeito de Barroso e presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde das Vertentes (Cisver), Reinaldo Aparecida Fonseca (PSDB), disse que até o dia 10 de junho, o município está com sete casos da COVID-19, sendo que dois são profissionais da área da saúde, e um deles trabalha e adquiriu o vírus em São João del-Rei.

"Existe uma preocupação, e que está praticamente constatado, que esse caso veio de SJDR para Barroso, depois da divulgação pela Santa Casa dos profissionais infectados pela COVID-19".

Segundo o prefeito Reinaldo Fonseca, "São João del-Rei, por possuir quase 100 mil habitantes, logicamente está mais exposta a uma contaminação maior que Barroso. E esse trâmite entre os dois municípios nos preocupa muito. Porque temos pessoas que trabalham em SJDR, proprietários de comércios que fazem compra na cidade, e ainda a preocupação de uma maior contaminação do nosso e de outros municípios menores", ressaltou.

O prefeito de Barroso reforçou ainda que a Santa Cassa e o Hospital N.S. das Mercês, ambos em São João del-Rei, "são os dois hospitais referenciados para receber pacientes graves e gravíssimos com o coronavírus. E, teoricamente, precisaríamos ter 36 leitos de UTIs nessas duas casas, e que ainda não estão todos formalizados, mas caminhando para a formalização. E também ter 60 leitos clínicos entre as duas casas e demais hospitais menores de outros municípios, como é o caso de Barroso, que também não estão formalizados em sua totalidade. Então, o que nos preocupa, é ter um avanço da pandemia em SJDR e, consequentemente, em nossos municípios menores e, a partir disso, não termos como atender todos os pacientes da forma como deve ser", ressaltou. 

"Por isso que estamos nos reunindo constantemente por intermédio do consórcio Cisver, para buscar ampliar os leitos necessários antes que tenhamos um aumento do número de coronavírus na região das vertentes. Porém, isso já está acontecendo, e no caso de Barroso, tínhamos quatro casos e pulamos para sete em poucos dias", ressaltou.

O prefeito deixa claro, ainda, para as pessoas e para os municípios que fazem parte da micro e do polo de SJDR, "que tenham essa preocupação e que ajam com consciência. Não é o momento de ficar circulando entre os municípios, justamente para evitar levar e trazer o vírus para outras cidades", concluiu.

São Tiago

Prefeito Denilson Reis, de São Tiago
Foto: Redes sociais

O prefeito de São Tiago, Denilson Reis (PSDB), também tem se mostrado preocupado. Segundo ele, o Comitê de Combate a COVID-19 do município votou pela restrição pela não reabertura de bares - e que os mesmos sejam realizados com restrições. "Lamentamos a postura do Estado em colocar bares sem restrições  na Onda Verde [do programa Minas Consciente], sendo um ato de irresponsabilidade. E lamentamos também a postura do prefeito de São João del-Rei [Nivaldo Andrade], que abandonou as tratativas com a região; abandonou de fato o trabalho em parceria que vinha sendo realizado", ressaltou o prefeito.

Denilson Reis também informou que os municípios da região possuem recursos vinculados, através do Teto MAC [Sistema de Controle de Limite Financeiro da Média e Alta Complexidade - SISMAC, do Ministério da Saúde] e que, segundo o prefeito, "o montante de recurso que chega para SJDR, nós não precisaríamos colocar mais recursos. Porém, fizemos isso por meio do CISVER, em respeito às vidas de toda a região e, obviamente, por meio do sistema que queremos construir para o amparo neste tempo de pandemia e pós-pandemia", ressaltou.

Ele conta ainda que foi uma pedido do deputado federal Dr. Frederico (Democratas) e do prefeito de São João del-Rei, Nivaldo Andrade (PSL). "Inclusive, quando o Dr. Frederico conseguiu um recurso em Brasília, e teria que utilizá-lo nos municípios da região, o próprio Nivaldo me ligou e o Dr. Frederico também, pedindo 'Denilson abre mão desse recurso para SJDR'; e assim o fiz! São R$ 100 mil que deixou de vir para São Tiago para ir para SJDR - e faria novamente, independente da postura do prefeito Nivaldo", ressaltou. Ele ainda informou que "tenho certeza que o Aurélio, prefeito de Resende Costa fez, o Reinaldo, de Barroso, além de outros prefeitos da região também fizeram. Reunimos aí um montante de aproximadamente R$ 3 milhões - não sei se já foi pago -, mas  todos os municípios da região abriram mão deste recurso, oficialmente, perante ofício, para que o deputado [Dr. Frederico] pudesse levar ao Ministro da Saúde e destino-lo às casas de saúde de SJDR", informou.

O prefeito de São Tiago ainda ressaltou que "eu penso que, o prefeito de SJDR precisaria é ter neste momento equilíbrio e liderança; sobretudo para conduzir a região para que os impactos fossem minimizados. Essa abertura de bares e lanchonetes sem critérios; eu tenho certeza que vai trazer sérias consequências para nós no futuro próximo", concluiu.

 

Rede de Apoio - SJDR

Divulgação

A Rede de Apoio São João del-Rei nasceu da iniciativa de diversas instituições, movimentos e associações sociais sem fins lucrativos preocupados com o alarmante aumento da pandemia de Covid-19 na cidade e região. Formado por 13 entidades, o movimento luta por direitos à vida e, para isso, se juntaram e enviaram uma carta direcionada ao prefeito e ao secretário de saúde de SJDR, com algumas exigências direcionadas à gestão pública, além de colher assinaturas para fortalecer o movimento de lutar pela necessidade da construção de medidas fundamentais para garantir o direito à vida em meio a essa pandemia.

"Estamos vivendo um momento inédito e alarmante, a pandemia de Covid-19 veio com intensas preocupações relacionadas à saúde da população e às estruturas do Sistema Único de Saúde. Temos observado algumas ações positivas da prefeitura, como, por exemplo, a criação do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus e determinar o uso obrigatório de máscaras. Porém, mesmo com essas medidas, vem crescendo exponencialmente o número de casos confirmados e mortes provocadas pela Covid-19, cenário que se repete em São João del Rei. Nesse momento, é importante cobrar que os governantes e gestores do nosso município priorizem a vida de todos ao tomar decisões, afinal, nossas vidas estão colocadas em risco. Pensando nisso, diversos movimentos sociais de São João del-Rei se uniram, formando a “Rede de Apoio - SJDR” e construímos uma carta direcionada à população e à prefeitura". 

As reivindicações são: Manutenção do isolamento social; Ampliação da comunicação entre gestão municipal e população; Garantia de Equipamento de Proteção Individual (EPI); Garantir testagem em massa para todas as pessoas sintomáticas ou que tenham história de contato com algum caso confirmado; Fila única dos leitos de UTI; Fortalecimento da Atenção Primária à Saúde (APS) no município para enfrentamento da pandemia; Integração das decisões de todos os níveis de atenção do município; Acolhimento e ampliação dos serviços de assistência às pessoas em situação de vulnerabilidade; Garantia de um local de segurança para a população feminina vítimas de situações de violência; Homologação imediata de posse do novo Conselho Municipal de Saúde; Fortalecimento das parcerias entre a Universidade Federal de São João del-Rei e prefeitura para enfrentamento da pandemia; A não demissão de funcionários públicos e terceirizados; Formação de grupos em combate ao corona; Construção de um plano de enfrentamento a pandemia a curto, médio e longo prazo; Transparência de gastos e investimentos realizados na saúde para enfrentamento da pandemia. 


Veja aqui a Carta pela Saúde da Rede de Apoio - SJDR.

Link da petição.

ASSINAM ESSA CARTA:

Fórum Popular de Saúde de São João Del-Rei

Levante Popular da Juventude

Fórum Popular de Economia Solidária

Sindicato Único do Trabalhadores em Educação (SindUTE - São João del-Rei) Fórum de Mulheres das Vertentes

Antônio Carlos de Jesus Fuzatto - Presidente da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC) de São João del-Rei

Frente Brasil Popular

Sindicato dos Servidores da Universidade Federal de São João del-Rei (SindsUFSJ) GT RUA

Centro Acadêmico Curso de Psicologia UFSJ-CDB

Centro Acadêmico Rita Lobato - Curso de Medicina UFSJ-CDB

Diretório Central dos Estudantes da UFSJ

Coletivo Caí Junto

Observatório da Saúde Coletiva (OBESC) - UFSJ

Núcleo de Pesquisa e Intervenção nas Políticas sobre Drogas (NUPID)

 

Direito de resposta São João del-Rei

O Portal Mais Vertentes, por não fazer o "marketing político da atual administração" e por expor as verdades, tenta há quatro semanas entrevistas com o prefeito e o atual secretário de saúde, porém sem sucesso.

 

#noticias #especialcovid-19 #saojoaodelrei #barroso #tiradentes #santacruzdeminas #microrregiao #campodasvertentes #cisver #maisvertentes #rededeapoiosjdr

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
São João del Rei - MG

São João del Rei - Minas Gerais

Sobre o município
Notícias de São João del Rei - MG
São João del Rei - MG
Atualizado às 10h15 - Fonte: Climatempo
22°
Poucas nuvens

Mín. 11° Máx. 23°

22° Sensação
14.8 km/h Vento
42.8% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (08/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 10° Máx. 24°

Sol com algumas nuvens
Quinta (09/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 12° Máx. 25°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias