Quarta, 12 de Agosto de 2020 15:34
32 999532355
Cidades Centro-Sul Saúde

Prefeitos da microrregião de SJDR lamentam a falta de diálogo e de ações conjuntas contra a pandemia e reabertura da economia

Segundo os prefeitos, se a cidade de SJDR sair do Programa Minas Consciente terá que atender à Normativa 17, que torna ainda mais rígidas as ações do combate ao coronavírus. Além disso, o prefeito poderá responder legalmente pelas consequências da liberação

06/07/2020 17h16 Atualizada há 1 mês
2.472
Por: Adriano Vianini
Fotos: redes sociais - reprodução
Fotos: redes sociais - reprodução

Após anunciar a reabertura do comércio não essencial em São João del-Rei, no último sábado (4), a partir da próxima segunda-feira (13), o Prefeito de São João del-Rei, Nivaldo Andrade (PSL), e o deputado federal Dr. Frederico, não ouviram e, muito menos, consideraram as recomendações dos 18 municípios que compõem a microrregião de São João del-Rei e a Macrorregião Centro-Sul.

Além disso, todos os prefeitos ouvidos pelo portal Mais Vertentes lamentaram a falta de diálogo com o poder executivo de São João del-Rei, a falta de ações conjuntas no combate à pandemia e, principalmente, uma reabertura da economia mais consciente e com a participação dos demais municípios da microrregião.

O prefeito de Barroso e presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde das Vertentes (Cisver), Reinaldo Aparecida Fonseca (PSDB), explicou que "antes de mais nada é importante frisar que a nossa microrregião é composta por 18 municípios. Os hospitais habilitados para atender esses municípios estão em SJDR - Santa Casa e Hospital. Nesta questão, eu vi um pronunciamento do prefeito dizendo que as casas já estão todas prontas em termos de leitos de UTIs, e até com algumas sobras à pedido da promotoria pública de SJDR. Até aí, observamos que estamos cumprindo nosso papel em relação aos protocolos firmados pelo Estado de MG”, disse.

Porém, segundo o prefeito de Barroso, “também é bom entender que essas duas casas de saúde tiveram investimentos por parte de todos os municípios conveniados ao Cisver, para que pudessem estar hoje em condições de atendimento aos doentes do novo coronavírus graves ou gravíssimos. Sendo assim, é importante salientar que estas casas não são somente para SJDR, mas também para todos os 18 municípios”, ressaltou.

Ainda, segundo Reinaldo Fonseca, seria fundamental que as decisões contassem com a participação de todos os municípios, especialmente em questões que abrangem a reabertura do comércio não essencial. Segundo ele, "a maioria dos municípios aderiu ao Programa Minas Consciente. Portanto, temos que atender aos protocolos que são inerentes ao programa. SJDR também aderiu! Se sair do Minas Consciente, consequentemente, a cidade terá que passar pela Normativa 17 que não prevê a liberação do não essencial”, informou.

“Eu entendo a preocupação do gestor de SJDR - pois não só ele, mas todos nós estamos sendo massacrados e criticados por essas atitudes que sabemos ser de contra-gosto de muita gente -, mas temos que levar em consideração o momento que estamos vivendo. E o momento é crucial! Ao invés de estarmos diminuindo o número de infectados, estamos é aumentando”, questionou o prefeito. A cidade de Barroso, em só um dia, teve 11 casos a mais de novos infectados pela COVID-19. "Hoje estamos com 27 casos de coronavírus; portanto, temos que ter os cuidados necessários. Se está aumentando os casos, daqui a pouco iremos precisar de mais leitos de UTIs; porém pode ser que falte para todos". 

Ainda segundo o prefeito de Barroso “o momento é de estarmos juntos! Se estamos trabalhando em uma microrregião, nós prefeitos também deveríamos estar trabalhando juntos - e SJDR não poderia ser excessão!”, questionou.

"Eu entendo o lado econômico, entendo o lado do prefeito de SJDR pois as cobranças e críticas são grandes, mas hoje temos que pensar em vidas. E para pensar em vidas, temos que fazer as coisas de formas diferentes e de ações mais conjuntas! Adoraria fazer em meu município uma reabertura maior. Sei que temos nossas fragilidades e limitações, mas hoje estamos mais preocupados com a não proliferação do vírus. E, infelizmente, se o vírus tiver que proliferar, ao menos que não leve ninguém a óbito por falta de atendimento”, concluiu.

Já o prefeito de São Tiago, Denilson Reis (PSDB), "seria muito importante que a Prefeitura de São João del-Rei fizesse esta reabertura do comércio com conjunto com as cidades vizinhas do Campo das Vertentes, mediante a elaboração de um protocolo único que compreenda a realidade de todas as cidades, inclusive as pequenas”, sugeriu. 

Segundo o prefeito de São Tiago, "SJDR ao abrir o comércio irá proporcionar uma grande movimentação dos cidadãos, inclusive de pessoas de outras cidades. O risco de viralizarão é muito alto”, informou. "É diferente de nós, que se abrirmos o comércio teremos mais controle da situação, por se tratar de pequenos negócios. O que acho importante, é tentar reunir as lideranças da região e a Prefeitura de São João para que pudéssemos agir conjuntamente”, ressaltou.

Denilson Reis sugere também uma maior conscientização da população sobre o que é necessário fazer para atravessarmos a pandemia, "uma vez que toda essa situação ainda deve perdurar por alguns meses. Agora temos que cuidar bem do processo de reabertura e trazer a população para entender que cada ação influencia muito no combate ou expansão desse vírus em nossa região. Devemos fazer uma campanha de grande impacto para que as pessoas assumam a missão social de contenção da disseminação do coronavírus de maneira responsável e colaborativa”, concluiu.

Já para a prefeita de Santa Cruz de Minas, Sinara Campos (sem partido), também está sentindo na pele a pressão ao tomar decisões tão difíceis que envolvem vidas, economia e empregos. ”Fazer qualquer previsão a médio e longo prazos têm sido um desafio quase que impossível para nós prefeitos. Principalmente tomar decisões a longo prazo. Pois a única certeza nesse momento é que com o vírus tudo pode mudar da noite para o dia”, informou. 

Segundo Sinara Campos, "se o município faz parte do Programa Minas Consciente as decisões dependem de fatores e indicadores que vão além da nossa vontade, e mais importante que abrir, é abrir de forma criteriosa, com protocolos para garantir a segurança do trabalhador e do consumidor. Pois quando o empresário abre e tem que fechar o prejuízo pode ser ainda maior”, explicou.

Sinara informou ainda que existe um consenso dos municípios menores em relação a medidas restritivas para os bares e restaurantes nesse momento. "Ainda são locais que podem aglomerar pessoas e alta probabilidade de contágio e que não temos como ter controle!”, reforçou.

Para o prefeito de Resende Costa, Aurélio Suenes (PSD), fazer parte do Programa Minas Consciente exige diretrizes e regras a serem seguidas e cumpridas. “Se a cidade de São João del-Rei sair ou optar pela Normativa 17, as condições serão ainda mais restritivas e o gestor/prefeito poderá responder pessoalmente pelas consequências geradas”, informou.

Para o prefeito de Resende Costa “estamos alinhados com a macrorregional Centro-Sul e preocupados com as decisões de São João del-Rei, pois se as coisas não forem bem aí também impactarão nos demais municípios vizinhos”, ressaltou. O prefeito pediu ainda “cautela e coerência” neste momento de pandemia.

O prefeito de Ritápolis Higino Zacarias de Sousa (PSDB), diz ser “totalmente contra a reabertura do comércio, tendo em vista que o número de casos do coronavírus está aumentando e ainda não temos disponibilidades de leitos de UTIs”, ressaltou.

Segundo Higino, “o município de Ritápolis é o mais radical de todos em relação à reabertura do comércio e ao isolamento social. Não aderimos ao Programa Minas Consciente em momento nenhum - justamente por acharmos que temos que manter ao máximo possível a cidade fechada. Nossa cidade é a única que tem barreiras sanitárias 24 horas em 110 dias. Fomos pioneiros na distribuição de máscara para todas as famílias do município. Portanto, nossa postura é amplamente radical e contrária a reabertura de qualquer comércio antes que tenhamos uma posição estável sobre a diminuição da COVID-19 ou qualquer vacina”, informou.

O prefeito informou ainda que não adotou ao Programa Minas Consciente justamente por liberalizar demais o isolamento social, abrindo comércios desnecessários e, segundo ele, "entendemos que o posicionamento do programa põem em risco a população", informou. "Estamos na normativa 17 seguindo o decreto municipal que é bem radical e só com comercio essencial aberto, isolamento social, uso de máscaras e barreiras sanitárias 24 horas", explicou. Segundo o prefeito de Ritápolis, o município não pretende aderir a nenhum programa que coloca em risco a vida das pessoas. “A economia é importante, mas aqui ela está em segundo plano”, informou.

 

Macrorregional Centro-Sul

Foto: Reprodução SES_MG.

 

Nesta última sexta-feira, 3 de julho, foi realizada uma videoconferência das Regionais de Saúde de Barbacena e São João del-Rei, que reuniu membros do Comitê Covid-19 Macrorregional Centro-Sul, prefeitos e gestores de saúde dos 51 municípios da macrorregião. Na ocasião, o grupo discutiu as atualizações da situação de saúde local e o plano Minas Consciente que, desde a semana passada, indicou o retorno da macrorregião Centro-Sul à Onda Verde.

Entre os diversos assuntos tratados, o relatório apresentado pelo coordenador de Vigilância em Saúde da Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Barbacena, Márcio Heitor Stelmo, mostra que a curva do gráfico continua com previsão de pico da pandemia no estado para o dia 15 de julho, sendo que, conforme pontuou Stelmo, “o pico em cada macrorregião pode ocorrer em datas diferentes”.

Os indicadores que baseiam as decisões do programa Minas Consciente também foram demonstrados. Eles incluem taxa de mortalidade, comportamento da curva de casos, média do tempo de ocupação em leitos de UTI, taxa de incidência pela ocupação de leitos e média da taxa de incidência nos últimos sete dias. O parecer dessa semana do COES estadual manteve a macrorregião Centro-Sul na Onda Verde do plano Minas Consciente.

Ainda durante a reunião, a gerente regional de saúde de São João del-Rei, Edwalda Assumpção, destacou que a microrregião do município conseguiu implantar os 36 leitos SUS de UTI previstos no Plano de Contingência assistencial da macrorregião, além de outros cinco leitos da rede privada, totalizando 41 leitos UTI para a microrregião. “O Estado, hoje, faz entregas de equipamentos nos hospitais em São João del-Rei e, em breve, virão mais equipamentos”, informou Edwalda.

A Superintendente da macrorregional Centro-Sul, Hérica Santos, reforçou a importância do diálogo entre os componentes da macrorregião e da união entre os mesmos e com demais órgãos públicos, para o fortalecimento do enfrentamento à covid-19: “Esse espaço é de todos e vamos manter aberto para nos reunirmos todas as sextas, pois queremos ouvir as dificuldades que todos estão tendo, ouvir cada um de vocês. Estamos abertos a escutar, dialogar e tentar ajudar a todos. Nossa proposta é de que tenhamos união entre nossos 51 municípios e assim caminharmos juntos, com apoio do Ministério Público, Polícia Militar, Gerência e Superintendência Regionais de Saúde”, destacou a superintendente.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
São João del Rei - MG
Atualizado às 15h24 - Fonte: Climatempo
23°
Poucas nuvens

Mín. 12° Máx. 23°

23° Sensação
16.2 km/h Vento
33.8% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (13/08)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 13° Máx. 24°

Sol com algumas nuvens
Sexta (14/08)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 13° Máx. 25°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias